Carreira & Mercado de Trabalho
Oportunidade para você ingressar na carreira offshore

15 dicas para driblar a crise do emprego

15 dicas para driblar a crise do emprego
[E-book] 8 dicas infalíveis para aumentar sua produtividade em seus projetos ou de sua empresa

Apesar de o país atravessar uma das piores crises econômicas de sua história, das frequentes notícias de demissões e de empresas fechando as portas, a boa notícia é que você pode vencer essa crise e ficar imune ao desemprego. No livro Vencendo a Crise (Ed. Best Business), o administrador Sady Bordin apresenta 100 dicas para você dar um drible na crise e conseguir voltar para o mercado de trabalho.

"Para atingir seu objetivo, não há segredos e a receita você já deve conhecer: planejamento, dedicação, determinação, preparo psicológico, boa saúde, cuidado com a aparência e disposição", explica o autor. Autoestima em alta, controlar a ansiedade e investir num bom currículo são algumas dicas que podem fazer você dar a volta por cima e conseguir uma nova colocação na sua área.

Autoestima alta

A autoestima é a primeira vítima de quem acabou de perder o emprego. Apesar da situação, procure manter a autoestima em alta, pois você vai precisar dela para conseguir voltar ao mercado de trabalho. E, vamos combinar uma coisa: a partir de agora, não fale que está desempregado. Fale que no momento está sem emprego.

Estabeleça prioridades


Ok, você tem pressa, está sem emprego, tem contas a pagar, não quer ficar parado, mas muita calma nessa hora! Se você faz lista até para ir ao supermercado, por que não faria uma para algo tão importante como conseguir um emprego? Crise sua lista. No topo, coloque seu objetivo profissional, setor em que quer trabalhar e que função gostaria de exercer. Em seguida, veja se tem as credenciais para a vaga pretendida.

Controle a ansiedade


Ficar desesperado e sair enviando currículos para qualquer empresa, sem critério, e abraçar a primeira oportunidade que aparecer pela frente não irá resolver seu problema. Um emprego não deve ser apenas a fonte de seu sustento: deve ser também um caminho para sua realização profissional.

Trabalhe sua embalagem

Seja nas relações informais ou no mercado de trabalho, o que vestimos revela muito sobre nossa personalidade e a imagem que transmitimos. Por isso, capriche no seu visual. Comprar boas roupas e vestir-se bem não é jogar dinheiro fora, mas o melhor investimento que uma pessoa pode fazer para valorizar sua imagem pessoal.

Invista em seu currículo

Como a escolha por um candidato se dá nos detalhes de um currículo, um item a mais pode ser a diferença entre conseguir ou não um emprego. Seja um segundo idioma, seja o domínio da informática, uma simples carteira de motorista, uma especialização, uma experiência, um curso, qualquer item que chame a atenção do recrutador.

Adote uma agenda positiva

Não vai ajudar em nada ficar reclamando do país, da crise econômica. Mude o discurso. Adote uma agenda positiva. Entre num círculo virtuoso de pensamentos, ações e atitudes positivas. Aja como se tivesse passando por um momento de transição. Crie uma rotina de atividades para não ficar parado.

Estabeleça uma rotina

Estabeleça uma rotina mesmo que esteja sem trabalho no momento. Nada de ficar trancado em casa dormindo, comendo e vendo TV. As oportunidades não vão aparecer para quem fica em casa. Vá passear no parque, vá para a academia, vá para a aula de inglês, de informática, vá visitar amigos, parentes, mostre que está vivo e em busca de novas oportunidades.

Use sua rede de contatos

Faça uma lista com os nomes das pessoas que você conheceu ao longo da vida. Com as que você não conseguiu visitar, faça contato pelo Facebook ou Linkedin. Não peça emprego a elas. Isso as constrangerá. Apenas deixe claro que está sem emprego e que gostaria de trabalhar em determinada área. Elas poderão lhe ajudar por meio de preciosas dicas de quem pode contratá-lo.

Prepare a lista das empresas-alvo


Conseguir um emprego pode estar na elaboração de uma lista de empresas onde você gostaria de trabalhar. Comece procurando nos sites dos sindicatos, das associações comerciais e industriais da sua cidade e, é claro, no Google. Depois veja no sie de cada uma como faz para enviar seu currículo. Se a empresa não dispõe de um canal para enviar, ligue para saber o nome e o contato da pessoa responsável.

Sem afobação novamente

Às vezes é melhor aguardar uma proposta mais interessante do que abraçar um emprego que não vai acrescentar valor em seu currículo.

Tenha referências pessoais

Ter uma lista de nomes e telefones de pessoas com as quais você se relacionou no passado e que pode servir de referências é um diferencial muito bom para um profissional. Não é incomum recrutadores telefonarem para o antigo empregador para pedir informações.

Tenha paciência e perseverança

Prepara-se: psicológica e financeiramente! Conseguir uma recolocação no mercado de trabalho, segundo dados do IGBE de 2015, leva em média oito meses. Não adianta ter pressa. O emprego e o reconhecimento virão no seu devido tempo.

Cuidado nas redes sociais

Adote uma postura neutra nas redes sociais. Coloque ou compartilhe apenas mensagens de cunho positivo, motivadoras ou inspiradoras. Fique longe dos comentários políticos e religiosos. Não assuma posições de cunho político, pois você pode estar fechando portas.

Dinâmica de grupo

Seja o que realmente você é: não tente, por exemplo, desempenhar um papel de líder se não tem vocação para ser líder. É importante ser espontâneo. Assim o profissional que o está avaliando saberá se você tem o perfil condizente com o cargo.

Trabalho temporário

Não importa se o período de trabalho for apenas um mês ou três meses. O trabalhador temporário não pode perder essa vitrine para demonstrar seu empenho e comprometimento em desempenhar a função. Cada contrato deve ser aproveitado com total desempenho.

Conheça Nossos Cursos