Notícias

ABPIP apresentará, em Macaé, perspectivas do setor de petróleo e gás para o Estado do Rio de Janeiro


ABPIP apresentará, em Macaé, perspectivas do setor de petróleo e gás para o Estado do Rio de Janeiro ABPIP apresentará, em Macaé, perspectivas do setor de petróleo e gás para o Estado do Rio de Janeiro

Associação acredita que a consolidação da abertura do mercado de E&P na Bacia de Campos revela um horizonte de oportunidades e atração de investimentos pelas empresas independentes na região

A Associação dos Produtores Independentes de Petróleo e Gás (ABPIP) vai abordar as perspectivas do setor de petróleo e gás no Encontro para o Desenvolvimento Regional, promovido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais do Estado do Rio de Janeiro, que será realizado nesta quinta-feira, dia 02 de dezembro, a partir das 9h, no Hotel Royal Macaé, na cidade de Macaé.

O Secretário Executivo da ABPIP, Anabal Santos Jr., vai levar ao evento dados de produção e investimentos das empresas operadoras associadas que atuam hoje na Bacia de Campos “As iniciativas e ações de nossas associadas que já estão em curso demonstram os esforços e investimentos que estamos empreendendo para, como sucessores da Petrobras nesses campos maduros e detentores do conhecimento técnico adequado para operar esses ativos, aumentar o volume de produção de petróleo e gás natural e estender a vida útil desses campos”, explica o executivo.

O objetivo dos independentes é, segundo o Secretário, proporcionar um novo ciclo de desenvolvimento regional com geração de emprego e renda decorrentes destas atividades. A ANP prevê investimento na ordem de U$ 30 bilhões nos próximos anos (2021 a 2025) decorrentes dos efeitos do Programa de Revitalização e Incentivo à Produção de Campos Marítimos (PROMAR) na criação de condições para o melhor aproveitamento do potencial econômico dos ativos maduros. Deste, a maior fatia, cerca de U$ 19 bilhões, será endereçada à Bacia de Campos.

Cerca de 24 campos localizados no Rio de Janeiro poderão ser incluídos no Programa de Desinvestimentos da Petrobras, além daqueles que já foram desinvestidos e/ou estão em fase final de desinvestimento, como no caso de Albacora e Albacora Leste. “A consolidação da abertura do mercado de E&P de petróleo e gás na Bacia de Campos revela um horizonte de oportunidades e atração de investimentos pelas empresas independentes na região”, analisa Santos Jr.

Ele explica que com a atuação das empresas independentes, há aumento no fator de recuperação dos reservatórios, que poderão alcançar marcas históricas e altos índices de produção. “Segundo estimativas de especialistas, o fator de recuperação da Bacia de Campos poderá saltar de 16%, índice atual, para o percentual de 35%. O volume de reservas adicionais decorrente desse aumento, seria maior do que todo o óleo que foi produzido na bacia até agora”, conta Santos Jr, que acrescenta ainda que a atividade de descomissionamento de plataformas, segundo estimativas da ANP, pode chegar a R$ 28 bilhões de oportunidades de negócios nos próximos cinco anos.

Espera-se, segundo o Secretário, gerar impactos positivos para o desenvolvimento econômico da cidade, que podem ser potencializados com a revitalização da Bacia de Campos e os esforços das empresas independentes. “Temos no Estado do Rio de Janeiro uma nova configuração de mercado mais diverso, com maior pluralidade de perfil de empresas, mais dinâmico e que requererá também das autoridades, nos seus diversos níveis, ajustes legislativos e regulatórios para que possamos maximizar os potenciais benefícios”, conclui Santos Jr.

Conheça as empresas associadas da ABPIP atuantes na Bacia de Campos, localizada no Rio de Janeiro:

- A Perenco assumiu em outubro de 2019 a operação do Polo Pargo em águas rasas da Bacia de Campos. A empresa atingiu em outubro/2021 a produção média de cerca de 6.470 boe/dia, o que representa alta de 131% quando assumiu a operação, e prevê investimentos da ordem de quase U$ 400 milhões de dólares;

- A PetroRio é operadora dos campos de Frade, Polvo, Tubarão Martelo e Wahoo, localizados na Bacia de Campos. A produção total da companhia teve um aumento de 33% no segundo trimestre de 2021, quando comparado ao mesmo período de 2020, atingindo mais de 30 mil boe/d.;

- A 3R Petroleum recentemente chegou aos grandes projetos de produção offshore, com a aquisição do campo de Papa-Terra, em águas profundas da Bacia de Campos;

- A BW Energy adquiriu o campo de Maromba em 2019, que está localizado em águas rasas da Bacia de Campos. O projeto de desenvolvimento de Maromba terá oito poços e o plano apresentado pela empresa prevê investimentos estimados em US$ 716 milhões, com primeiro óleo previsto para 2024.

Curso Logística Avançada Offshore - EAD - Confira

O curso é ministrado por Marco Antônio Dias, Bacharel em Relações Internacionais e Comércio Exterior pela UNESA-RJ, com MBA em Gestão para Gerentes e Diretores pela FGV. Possui sólida experiência em companhias como a Schlumberger (Petróleo e Gás), PSA Peugeot Citroen (Automobilística), Gerdau (Siderurgia), Hamburg-Sud (Navegação e Logística), Luis-Dreyfuss (Alimentos e Bebidas).

Para mais informações click aqui

Fonte: Simone Azevedo - ABPIP