Notícias

Maricá (RJ) sedia primeiro teleporto para constelação de satélites da América Latina


Maricá (RJ) sedia primeiro teleporto para constelação de satélites da América Latina Maricá (RJ) sedia primeiro teleporto para constelação de satélites da América Latina

A assinatura da Joint Venture entre a gigante aeroespacial italiana Leonardo e o município de Maricá (RJ), realizada no aeroporto municipal da cidade, tem como ponta de lança um projeto inédito anunciado pelo principal executivo do conglomerado, Lorenzo Mariani, que veio da Itália apenas para a cerimônia, e pelo prefeito Fabiano Horta: a Telespazio, uma das subsidiárias do grupo – o maior em tecnologia de comunicação, segurança e aviação daquele país – vai instalar na cidade, em parceria com a Companhia de Desenvolvimento de Maricá (Codemar), o primeiro teleporto para conexão e transmissão de dados envolvendo uma constelação de satélites geoestacionários.

“Não existe em nenhum outro lugar do planeta um teleporto que estará ligado a 800 satélites em órbita baixa, com serviços de banda larga numa dimensão que não existe hoje. Isso é absurdamente inovador, não há nada igual na América Latina”, descreve o CEO da Telespazio, Marzio Laurenti. “A Leonardo está no Brasil desde os anos 70, mas hoje penso que começamos uma nova era, usando nossa capacidade, nossos produtos e sistemas para desenvolver tecnologias aqui, num laboratório vivo”, afirma Lorenzo Mariani.

Para a Prefeitura de Maricá, a parceria reforça o papel estratégico da cidade no cenário de petróleo & gás no principal estado produtor do país. “Aqui se estabelece hoje uma dimensão de notório desenvolvimento e de imenso desafio. É um despertar de possibilidades para além da parceria, de desenvolvimento científico e tecnológico. O teleporto dá à cidade um protagonismo que ainda não há na América Latina”, definiu o prefeito Fabiano Horta, lembrando que a Leonardo também vai implantar em Maricá uma base de operações, treinamento e manutenção dos helicópteros usados no apoio às operações offshore.

Ainda de acordo com o CEO da Telespazio, o prazo de implantação está correndo rápido. “O sistema estará em operação até o fim do ano, oferecendo transmissões de baixa latência. Temos pressa para começar a implantação porque 60 desses satélites já foram lançados pela empresa americana que é nossa parceira nesse desenvolvimento”, acrescenta Laurenti.

Presidente da Codemar, José Orlando Dias ressaltou que a joint venture é fruto de mais de seis anos de esforços e disputas com outras cidades. "Ganhamos de municípios como São Paulo, a Leonardo confia em nós. Para o município, a parceria terá efeitos em pouco tempo, com o aumento no número de empregos e na geração de receitas. E também do potencial de atração de empresas que integram a cadeia produtiva, como a própria Telespazio", afirmou.

O complexo da Telespazio terá uma capacidade de transmissão de dados de pelo menos 10 gigabytes e deve estar em operação até o fim de 2020. O valor do investimento não é revelado por ser estratégico para a empresa. “Será importante para a atividade offshore, que tem uma grande demanda de serviços de transmissão de dados por satélites. Futuramente, também será uma plataforma excelente para a transmissão via 5g”, completa. Em um segundo movimento, a empresa também implantará outro teleporto, igualmente com 10 gigabytes de capacidade, no Norte do país.

Mais empregos, mais negócios, com nossos treinamentos para qualificação profissional, e empresarial.

Empresas e profissionais devem estar preparados:

Não fiquem de fora dos empregos, e negócios.

Conheça, e qualifique-se com nossos treinamentos, clicando aqui.

A hora é agora. Qualifique-se já.

Fonte: SeCom Maricá