Problemas no carregamento? Recarregue a página!

BR do Mar vai expandir a frota para cabotagem no Brasil em 40%


BR do Mar vai expandir a frota para cabotagem no Brasil em 40% BR do Mar vai expandir a frota para cabotagem no Brasil em 40%

Presidente tenta reduzir a pressão de lideranças de caminhoneiros que são contrários ao texto

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na terça-feira (24/11) que o projeto de lei que cria o programa de incentivo à navegação de cabotagem, o BR do Mar, vai provocar a expansão da frota dedicada à cabotagem em 40% em três anos.

Bolsonaro afirmou que a aprovação do programa vai favorecer caminhoneiros ao provocar o aumento dos fluxos de curta distância para os motoristas. De acordo com ele, nesse cenário, “o caminhoneiro ganha mais por km rodado, desgasta menos o equipamento e, portanto, tem maior receita”.

Veja o principais objetivos do BR do Mar
incrementar a oferta e a qualidade do transporte por cabotagem;
incentivar a concorrência e a competitividade na prestação do serviço de transporte por cabotagem;
ampliar a disponibilidade de frota no território nacional;
incentivar a formação, a capacitação e a qualificação de marítimos nacionais;
estimular o desenvolvimento da indústria naval nacional de cabotagem;
revisar a vinculação das políticas de navegação de cabotagem das políticas de construção naval;
incentivar as operações especiais de cabotagem e os investimentos decorrentes em instalações portuárias, para atendimento de cargas em tipo, rota ou mercado ainda não existentes ou consolidados na cabotagem brasileira; e
otimizar o uso de recursos advindos da arrecadação do Adicional de Frete para Renovação da Marinha Mercante (AFRMM).
Bolsonaro tenta reduzir a pressão de lideranças de caminhoneiros que são contrários ao texto. Este mês, a Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava) enviou uma carta a deputados pedindo a retirada do pedido de urgência ao texto. Segundo a associação, o BR do Mar ameaça impactar em 40% nos pedidos de fretes dos caminhoneiros.

Para Bolsonaro, o projeto vai impactar toda a cadeia de logística. “Barco não para na porta da indústria ou fazenda”, disse o presidente em uma das postagens. “Se contêineres embarcarão em um navio, precisam chegar e deixar o porto”.

A matéria está parada na Câmara dos Deputados devido à obstrução a votações promovida por parlamentares do Centrão como fruto da disputa pela presidência da Comissão Mista do Orçamento (CMO). O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, chegou a afirmar que o texto tinha “perspectiva boa” de ser votado, por estar na pauta da última quarta-feira. Mas a votação não ocorreu.

O Cade enviou à Câmara dos Deputados um relatório em que afirma que a aprovação do texto vai aumentar a concentração no mercado de afretamento de embarcações ao favorecer grandes empresas do setor.

O projeto autoriza empresas brasileiras com frota nacional a alugar embarcações estrangeiras para reforçar sua frota e ampliar operações.

O relatório do Cade foi uma resposta ao pedido de informação feito ao órgão pelo deputado Fausto Pinato (PP/SP0. Ele é um dos principais opositores ao PL na Câmara.

CURSO NOVO REPETRO SPED EAD com instrutor de alto nível técnico

Treinamento à distância, ministrado por Márcio Ávila, Doutor e Mestre em Direito Internacional, Analista Tributário, Advogado concursado, e Consultor Jurídico na Área Tributária da Petrobras, por 12 (doze) anos.

Conheça tudo sobre Análise Tributária e Aduaneira do REPETRO-SPED, e o novo Regime Aduaneiro Especial da Indústria do Petróleo e do Gás, veiculado pela Lei 13.586/17.

Para mais informações e matrícula click aqui: https://lnkd.in/dJ5y-en

Fonte: EP BR