Problemas no carregamento? Recarregue a página!

AIE prevê que demanda por petróleo vai encolher no 1o trimestre por causa de coronavírus


AIE prevê que demanda por petróleo vai encolher no 1o trimestre por causa de coronavírus AIE prevê que demanda por petróleo vai encolher no 1o trimestre por causa de coronavírus

A demanda global por petróleo vai encolher neste trimestre pela primeira vez em mais de uma década, em função do impacto da epidemia de coronavírus, segundo a Agência Internacional de Energia (AIE).

Em relatório mensal divulgado na quinta-feira, 13/02, a AIE reduziu sua previsão de alta na demanda mundial por petróleo em 2020 em 365 mil barris por dia (bpd), para 825 mil bpd. A agência também alertou que haverá uma queda anual na demanda de 435 mil bpd no primeiro trimestre, que marcará o primeiro recuo trimestral em mais de dez anos.

O corte na projeção da AIE foi bem maior do que o anunciado pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que reduziu sua estimativa em 230 mil bpd.

“As consequências (do coronavírus) para a demanda global por petróleo serão significativas”, afirmou a AIE em seu relatório, citando uma forte desaceleração do consumo de petróleo pela China, assim como de sua economia.

A AIE, que tem sede em Paris, calcula que a China respondeu por mais de três quartos do crescimento na demanda global por petróleo em 2019 e que seu consumo mais do que dobrou desde a epidemia de Sars ocorrida em 2003. “Há pouca dúvida de que (o novo coronavírus) terá um impacto maior na economia e na demanda por petróleo do que a Sars teve”, diz a agência.

Ainda no relatório, a AIE apontou uma queda de 800 mil bpd na oferta de petróleo global em janeiro, sendo que a Opep teria sido responsável por 710 mil bpd do total. Em dezembro, a Opep e aliados – que incluem a Rússia – concordaram em aprofundar cortes na produção conjunta em 500 mil bpd, para 1,7 milhão de bpd, até o fim de março.

Apenas os Emirados Árabes Unidos foram responsáveis por 300 mil bpd da redução na oferta da Opep, de acordo com a AIE. Já a Arábia Saudita, líder informal da Opep, ampliou sua produção em 70 mil bpd no mês passado, a 9,72 milhões de bpd.

A AIE também manteve sua projeção de aumento na oferta fora da Opep este ano, em 2,1 milhão de bpd. A agência prevê que o avanço da produção dos EUA irá desacelerar, o que deverá ser parcialmente compensado por aumentos na oferta de Brasil, Noruega, Canadá e Guiana.

Para conhecimento, pois pode ser do seu interesse:
Inglês Offshore, para comunicação em plataformas de petróleo e gás
Parceria Wise Up Offshore e Click Macaé
Confira aqui: https://bit.ly/38Q9buW

Fonte: Dow Jones Newswires